INÍCIO CONTATO RESENHAS TECNOLOGIA VIAGEM FILMES OFF MAPA DO SITE







22/05/2016


Álcool não presta!


Álcool não presta!

E aí, tranquilo? Nesse post vou contar um pouco da péssima experiência que tive com o álcool.

Não lembro quando comecei a beber, nem sabia o que era uma cerveja, uma vodka, ou um vinho, mas por contas das amizades fui apresentado cedo. Uma coisa é certo, não são todos que nasceram para beber.

Muitas pessoas tem problemas com o alcoolismo, começam a beber e não conseguem mais parar. Eu não sou dependente, não sinto vontade de beber todos os dias. Não sei como, mas coloquei na minha cabeça que para curtir uma festa, ou quando estou com problemas eu preciso beber. Beber para desestressar e esquecer que tenho um problema.

Estou escrevendo esse post porque pensei bastante, e caí na real do mal que estava fazendo a minha saúde. Creio que tenha muitas pessoas com esse mesmo pensamento que eu tinha.

Não estou escrevendo com o intuito de fazer com que as pessoas parem de beber, até porque todo mundo sabe o que é certo e errado, todos nós pensamos e temos opiniões diferentes. Só quero que você reflita um pouco e pergunte para si mesmo  porque eu bebo.

Percebi depois de várias experiências negativas que o álcool para mim não faz bem, quando bebo eu não consigo enxergar o limite.

Qual é o seu limite?


Depois de um certo tempo o organismo acostuma com o álcool, e a quantidade que você bebia antes não vai ser o suficiente para te deixar bêbado (ou alegre como você preferir).

Foi o que aconteceu comigo, a quantidade que eu bebia antes não fazia mais efeito e aí eu bebia mais, o resultado disso vocês já sabem. Quando fico bêbado eu viro o homem de ferro, fico forte, rico e bonito. Mas na realidade era apenas uma ilusão que o álcool me proporcionava.

Quando estamos bêbados, nós não conseguimos nos controlar, e na maioria das vezes acabamos fazendo coisas que estão guardadas dentro de nós. E na maioria das vezes apenas damos trabalho para as pessoas que estão ao nosso redor.

pulseiras para eventos

Pode até parecer engraçado, mas não é! Eu guardo todas as pulseiras de festas que eu já fui, ainda tem poucas comecei a juntar recentemente. Cada uma dessas pulseirinhas tem uma história para contar. Como diz o título do livro do Izzy Nobre, todo dia tem uma merda. Na minha expressão, toda festa tem uma merda! 

Porque toda festa tem uma merda?


Sério, você nunca parou para analisar as festinhas que você já foi? Pessoas bebendo sem limites, caindo nos cantos, falando besteira, arranjando briga, e o pior dirigindo. Depois da última peripécia que aprontei (que dá vergonha só de pensar), vi que eu não preciso de álcool para me divertir em festas ou para resolver problemas do dia a dia. Já chega de passar vexame e fazer coisas que depois irei ficar envergonhado.

Esse post foi mais um desabafo, eu sei que existem pessoas que bebem porque gostam, mas com moderação e não fazem peripécias. Só quero mostrar o meu ponto de vista e dizer que não estou mais nesse barco, para mim já chega!

Adeus álcool, não foi um prazer te conhecer! 


Nenhum comentário :